Teste vai permitir diagnosticar dengue, zika e chikungunya

O Ministério da Saúde começa a distribuir no fim de fevereiro as primeiras 50 mil unidades do Kit NAT Discriminatório para dengue, zika e chikungunya. Ele vai permitir o diagnóstico simultâneo das três doenças com maior agilidade.


Outra vantagem seria a redução do custo de aplicação do teste. A estimativa de gasto para realização do diagnóstico é de 20 dólares por cada um, o equivalente a mais ou menos R$ 80.

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, será possível descobrir em um prazo de 2 horas qual a enfermidade que a pessoa apresenta. Ele também destacou que a prioridade para a diferenciação diagnóstica vai ser para as gestantes.

O kit foi apresentado nesse sábado na Fiocruz, Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro.

Os testes serão encaminhados a 18 dos 27 laboratórios centrais do Ministério da Saúde, localizados em cada estado do país. Outros três laboratórios já estão sendo preparados para receber os materiais. A previsão é que até o fim do ano sejam distribuídos 500 mil kits.

Marcelo Castro afirmou que o maior problema que o Brasil enfrenta atualmente é a microcefalia. Por isso defendeu que não podem faltar recursos para combater a doença. Ele informou que estão garantidos para este ano 500 milhões de reais para ações relacionadas à microcefalia.

O ministro também lembrou as três mortes por chikungunya, duas na Bahia e uma em Sergipe, todas em pessoas idosas. Castro enfatizou que as três doenças que serão diagnosticadas com os testes são graves e estão matando.



Editor Chefe Marcelino Martins

Graduando do Curso de Marketing e pós-graduando no curso de Gestão Estratégica em Marketing Digital.
Facebook: http://www.facebook.com/marcelinoitapiunanews