62% dos domicílios do Ceará têm água fluoretada

Entre 2007 e 2012, o Ceará
aumentou de 28 para 106 o
número de municípios
abastecidos com água
fluoretada, segundo
levantamento do Núcleo de
Atenção à Saúde Bucal da
Secretaria da Saúde do
Estado. Atualmente, 62%
dos domicílios cearenses tem
água com flúor saindo na
torneira, com as amostras
sendo analisadas pelo Laboratório de
Saúde Pública do Estado (Lacen). No
cruzamento com dados do IBGE, são
1.459.083 domicílios, que
representam 80% de 1.826.543
domicílios ligados às redes de
abastecimento de água no Ceará. O
flúor na água de consumo tem o poder
de reduzir em até 60% a incidência da
cárie, segundo o Ministério da Saúde.
Com o Programa Brasil Sorridente, o
Ministério faz parcerias com as
empresas de saneamento para
expandir a fluoretação da água de
abastecimento. No Estado, a
Companhia de Água e Esgoto do Ceará
(Cagece) investe R$ 2 milhões para a
fluoretação da água de abastecimento.
A fluoretação das águas de
abastecimento público em sistemas
providos de Estações de Tratamento
de Água (ETAs) é obrigatória em no
país desde 1974. Coordenada pela
Fundação Nacional de Saúde (Funasa/
Ministério da Saúde), a fluoretação é
um dos subcomponentes do Programa
Brasil Sorridente e tem por objetivo
contribuir para redução da prevalência
da cárie dentária.
Para viabilizar o cumprimento da
legislação, foi acordado com o
Ministério da Saúde e Secretaria
Estadual da Saúde um amplo programa
de implantação de Unidades de
Fluoretação em ETAs operadas pela
Cagece, de forma a beneficiar a
população abastecida por 121
sistemas selecionados. Por meio do
Programa Brasil Sorridente, foram
investidos em sistemas de
abastecimento R$ 1.679.418,58,
sendo R$ 1.261.050,70 pela
Fundação Nacional de Saúde (Funasa)
e R$ 418.367,79 pela Cagece.

Editor Chefe Marcelino Martins

Graduando do Curso de Marketing e pós-graduando no curso de Gestão Estratégica em Marketing Digital.
Facebook: http://www.facebook.com/marcelinoitapiunanews