A persistência do Justo


Gritando para Javé, eu imploro!
Grito para Javé, eu suplico !
Derramo à frente dele o meu lamento, diante dele exponho a minha angústia, enquanto o meu alento desface.
Tu, porém, conheces o meu caminho, e foi no caminho por onde eu ando que eles me prepararam uma armadilha.
Olha para a direita e vê: ninguém mais me reconhece, nenhum lugar de refúgio, ninguém que olhe por mim !
Eu grito para ti, Javé, e digo: "Tu és o meu refúgio, a minha parte na terra da vida".
Presta atenção ao meu clamor, pois já estou esgotado.


Salmo 142, poema De Davi, quando estava na caverna.

Editor Chefe Marcelino Martins

Graduando do Curso de Marketing e pós-graduando no curso de Gestão Estratégica em Marketing Digital.
Facebook: http://www.facebook.com/marcelinoitapiunanews